Category: Estudo Particular


Dois tipos de mulher…

 

102

 

Dois tipos de mulher!

 

Cada vez mais necessitamos ser mulheres com coragem, para enfrentar as lutas diárias que se nos deparam.

Muitas vezes, sentimo-nos frustradas e impotentes diante de tantos e tão variados obstáculos, que a vida se encarrega de nos trazer.

Nesta hora verificamos, quão frágeis somos sem a ajuda de Deus.

Só Ele pode capacitar-nos, e dar-nos força para nos tornar valentes o suficiente para encarar com optimismo as vicissitudes da vida!

Felizmente na Palavra de Deus, temos inúmeras passagens de ânimo e coragem, com lindas e maravilhosas promessas que diante das tribulações nos garantem pelo meio da fé a resolução dos problemas, ainda que na hora não seja visível qualquer luz no fim do túnel.

E fé é isso mesmo, como está escrito em Hebreus 11:1

“Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.”

Existem no entanto situações para as quais não estamos de modo alguma preparadas, tal como a perda de um ente querido, enfermidades, catástrofes naturais, etc.

É da nossa, responsabilidade, no entanto, alimentarmo-nos da Sua Palavra, para estarmos fortalecidas por Ele e Nele, na hora que a dificuldade, tribulação ou luta nos bater à porta.

Temos como exemplo o Salmo 46 que principia dizendo:

“Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.”

Todas nós já passamos por momentos difíceis e sabemos o quão penoso seria ultrapassar esses momentos, sem a preciosa ajuda do Nosso Deus!

Existe no entanto dois tipos de mulher que enfrentam de forma completamente diferente as lutas da vida.

 

*A Mulher Corajosa, que destemidamente avança confiante em si mesma.

*A Mulher Fortalecida por Deus e em Deus.

 

Analisemos seis pontos de diferença entre estes dois tipos de mulher.

 

1º- Uma mulher corajosa não tem medo de nada, é portanto destemida e ousada.

Uma mulher fortalecida por Deus demonstra coragem diante dos seus próprios medos.

 

2º- Uma mulher corajosa pratica exercício físico para se manter sempre em boa forma podendo assim com vigor ultrapassar certos obstáculos.

Uma mulher fortalecida por Deus constrói relacionamentos sólidos (de amizade e familiares) para manter a sua alma sempre em forma.

 

3º- Uma mulher corajosa comete erros, mas evita repeti-los no futuro.

Uma mulher fortalecida por Deus percebe que os erros cometidos ao longo da vida, podem servir de bênção, pois através deles recebe grandes ensinamentos.

 

4º- Uma mulher corajosa expressa no olhar e no rosto segurança, orgulho e autoridade.

Uma mulher fortalecida por Deus tem na expressão do olhar e no rosto a graça, a serenidade, a paciência e a paz que só o Senhor concede.

 

5º- Uma mulher corajosa não admite que ninguém tire o melhor de si própria.

Uma mulher fortalecida por Deus dá sempre o melhor de si própria aos outros.

 

6º- Uma mulher corajosa acredita que tem a força e a coragem suficiente para a sua jornada nesta vida.

Uma mulher fortalecida por Deus tem a firme convicção (fé) que durante a sua jornada neste mundo o Senhor a tornará cada vez mais forte.

 

Temos na Palavra de Deus dois exemplos que se enquadram na análise que acima referi. Encontramos ambos no livro de Ester.

No capítulo 1, versículos 10 a 12, do livro de Ester, fala-nos da Rainha Vasti, mulher formosa, corajosa, autoritária, orgulhosa e ousada, mas na sua própria força, pois negou-se a comparecer diante da presença do Rei. Teve como resultado da sua audácia a destituição do seu reinado.

Em sua substituição foi coroada como Rainha, Ester, mulher formosa, obediente e temente a Deus que foi usada de uma forma tremenda por Deus, tendo desafiado também o rei, mas segundo graça e sabedoria divina.

Ester era uma mulher fortalecida em Deus e por Deus e foi usada por Ele para ajudar o seu povo judeu, evitando assim a sua destruição.

 

Pergunto agora à prezada leitora:

A que grupo de mulher deseja pertencer?

Ao da mulher corajosa, que luta com bravura mas sozinha contra os desafios da vida, ou ao da mulher fortalecida em Deus e por Deus, que sabe que sejam as lutas quais forem e venham de onde vierem, Deus sempre a acompanhará, ajudará e consolará?

Jamais estará só na sua jornada, se em Deus buscar a sua força!

O meu conselho é este:

Não há nada mais maravilhoso nem melhor do que vivermos neste mundo tendo por companheiro na nossa vida a presença sublime do Bondoso e Excelso Deus!

Fortaleça-se pois prezada leitora nas Sagradas Escrituras que são a Palavra de Deus, alimentando a sua alma com a leitura diária da Bíblia, e desta forma Deus irá fortalecê-la cada dia mais e mais!

A Deus toda a Glória!

 

 

Que Deus ricamente a abençoe

Florbela Ribeiro A. S.

 

Anúncios

Ser um ribeiro

2744_DSCN8947

Ser um Ribeiro!

Que bom seria se cada uma de nós ansiasse ser como um Ribeiro!

Não um caudal de água comum. Não!

Mas um ribeiro com águas puras, vitais e cristalinas.

Um ribeiro que transbordasse, e no seu transbordar, encaminhasse todos quantos têm sede de amor, carinho, ânimo, coragem, e os levasse ao encontro da Fonte da Água Viva que é Jesus Cristo!

Em João 7:37 e 38 lemos a seguinte afirmação de Jesus Cristo:

«… Se alguém tem sede, que venha a mim e beba.

Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre

Num mundo tão corrompido de valores morais e sociais em que estamos inseridas, temos e devemos, nós, mulheres cristãs marcar a diferença.

Toda a nossa conduta, a nossa postura, o nosso diálogo e o nosso semblante devem demarcar essa diferença.

O temor a toda a Palavra de Deus é relevante para que essa mesma diferença seja notória aos olhos de todos aqueles que nos rodeiam.

Provérbios 14:27

«O temor do Senhor é uma fonte de vida para preservar dos laços da morte»

Devemos pois reflectir a imagem de Cristo, e se Ele é a Fonte da Água Viva, temos nós obrigação de ser também no meio social onde estamos inseridas, ribeiros que nascem como caudais, dessa mesma Fonte!

Devemos ser castas na nossa forma de viver, pensar, agir e falar.

O nosso carácter deve transparecer serenidade, honestidade, franqueza, verdade, paz e pureza.

Provérbios 18:4

«Águas profundas são as palavras da boca do homem, e ribeiro transbordante é a fonte da sabedoria»

Devemos ser vitais para a sociedade e dessa forma, moraliza-la, exemplificando uma conduta correcta e dignificante que nela deveria existir.

II Pedro 2:17

«Estes são fontes sem água, nuvens levadas pela força do vento, para os quais a escuridão das trevas eternamente se reserva…»

É de uma extrema importância marcar a diferença onde quer que estejamos, seja no lar, no trabalho, entre familiares, amigos, colegas de escola, vizinhos, etc.

Devemos também ser cristalinas, ou seja límpidas.

O nosso coração e a nossa mente devem estar livres de mágoas, ressentimentos, ódios, rancor, inveja, soberba, ganância, vaidade, luxúria, etc!

Só desta forma transparente e nítida, poderemos reflectir a imagem de Cristo!

Essa imagem reflecte-se numa vida de arrependimento, restaurada, renovada e a Ele totalmente consagrada.

A Palavra de Deus é um imenso reservatório de águas verdadeiramente limpas, onde podemos matar a nossa sede, buscar sabedoria, força, conhecimento, consolo, paz, graça e os dons que Deus nos prometeu conceder, se a Ele formos fiéis.

Busquemos essa Fonte e mergulhemos nela para que o Espírito Santo possa fluir nas nossas vidas!

Se assim fizermos o nosso agir será por Ele dirigido de uma forma maravilhosa.

Na hora certa, proferiremos a Palavra de Deus de forma correcta e o impacto será tremendo para todos quantos não conhecem a Cristo.

Desta forma levaremos a esperança da Salvação e da Vida Eterna que, o Nosso Senhor Jesus Cristo, resgatou e comprou para todos nós através da sua morte sacrificial!

A Sua maior prova de amor!

Sejamos pois um ribeiro de águas transbordantes no carinho, na paciência, no conhecimento da Palavra de Deus, executando a mesma e aplicando-a nas nossas vidas.

Desta forma vamos conseguir evangelizar e moralizar com actos, aconselhamento e ajuda, todos quantos nos rodeiam e vêem em nós o reflexo da maravilhosa Fonte da Água Viva.

Sejamos pois um instrumento por Ele usado, quando procuradas por aqueles que precisam de Deus, e O buscam através de nós!

Apocalipse 21:6

«…A quem tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida»

Que Deus ricamente vos abençoe!

 

Florbela R. A. Silva

 

04e

 

Porto de Abrigo!

 

Porto de abrigo, é o lugar onde em dias de tempestade, ancoramos o nosso barco, com fortes amarras de modo a que este fique firme e ali possa esperar a calmaria voltar.

É o local onde encontramos refúgio, protecção e segurança!

O Senhor Jesus Cristo é o Porto de Abrigo de todas as almas cansadas! Todas mesmo sem excepção!

«Direi do Senhor: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza e nele confiarei» (Salmo 91:2)

Nós, mulheres cristãs somos discípulas do Bom Mestre, e como consequência disso, seguimos as suas pisadas, os seus ensinamentos e mandamentos.

Vamos pois ser bússolas nas mãos de Deus para levar toda a alma cansada e abatida, ao Porto de Abrigo.

Vivemos num mundo hostil, violento, desumano, insensível, calculista e materialista.

Sintamos pois, nós, o desejo e a necessidade de ser um instrumentos do Senhor, auxiliando e levando o conhecimento da Sua Palavra, a todos quantos andam perdidos pelo mundo, e que precisam de um lugar tranquilo para descansar o fardo que carregam.

«Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei» (Mateus 11:28)

Como cristãs abracemos esta causa tão nobre e vamos assim receber, acarinhar e encaminhar os que necessitam conhecer este Deus tão maravilhoso!

Só Ele tem a solução para todos os problemas. Todos mesmo!

Não podemos ser egoístas e guardar só para nós, as bênçãos e as promessas tão consoladoras que Deus nos revela na Sua Santa Palavra!

Temos e devemos repartir com os demais, o amor que Deus nos concedeu!

Levar todos ao conhecimento da existência de um Deus Grande e Poderoso que ama, salva, cura e transforma o velho homem numa Nova criatura!

Este é um mandamento do Mestre; amar-nos uns aos outros como está escrito em João 15:12:

«O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.»

«Purificando a vossa alma na obediência à verdade, para caridade fraternal, não fingida, amai-vos ardentemente uns aos outros, com um coração puro.» (I Pedro 1:22)

«Honrai a todos. Amai a fraternidade. Temei a Deus. Honrai o Rei.» (I Pedro 2:17)

Existem ao nosso redor tantas pessoas que precisam de ajuda para se libertarem do fardo da tristeza, da ilusão, da dor, do fracasso, decepção, tribulação, depressão, angustia, etc.

«O Senhor será também um alto refúgio para o oprimido; um alto refúgio em tempos de angustia» (Salmo 9:9)

«O Senhor é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador; o meu Deus, a minha fortaleza, em quem confio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio.» (Salmo 18:2)

Sejamos pois, o sinal de trânsito que indica o local desse Porto de Abrigo para aqueles que nos estão próximos, direccionando-os desta forma ao encontro de uma vida melhor, restaurada, renovada, santificada e justificada por Jesus Cristo.

Precisamos estar atentas ao que se passa à nossa volta, para poderemos ajudar, apoiar, conversar, ouvir e orientar todos que precisam chegar ao caminho do Pai Celestial.

Ao verdadeiro Porto de Abrigo.

«…Então, levantou-se, repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se uma grande bonança.» (Mateus 8:26)

«E será aquele varão como um esconderijo contra o vento, e como um refúgio contra a tempestade, e como ribeiros de águas em lugares secos, e como a sombra de uma grande rocha em terra sedenta» (Isaías 32:2)

«Bendito seja o Deus Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda consolação, que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados de Deus» (II Coríntios 1:3,4)

Façamos isto com humildade e deixemo-nos usar por Deus, sendo vasos de bênção ao seu serviço, e deixando-nos usar pelas suas Divinas mãos!

Tenhamos sempre no nosso semblante um sorriso, da nossa boca sai-a uma palavra sábia de consolo e ânimo, das nossas mãos sai-a um gesto carinhoso e com os nossos braços possamos abraçar e confortar quem precisa sentir um toque de amor.

O toque do Amor de Deus!

Façamos isto não só com os que nos rodeiam, mas também com todos os que nos são próximos, ou seja a nossa família.

Comecemos por ela e de seguida, abracemos a causa dos outros que ao nosso redor tanto padecem.

Vizinhos, amigos, colegas de trabalho, companheiros de escola, etc Não nos esqueçamos dos desconhecidos com os quais nos cruzamos tantas vezes na rua e daqueles que são chamados de «Os sem abrigo».

Oh amadas irmãs há tanto serviço para fazer em prol da obra do Mestre.

Foi o próprio Jesus que disse que veio ao mundo não para curar os sãos, mas os doentes.

Se somos suas seguidoras façamos algo neste campo também.

Claro que para que isto acontecer, temos que esquecer o nosso ego e pensar mais nos outros, esquecer as nossas próprias dores e suavizar as dores do próximo.

«E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus esta derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado» (Romanos 5:5)

«A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros: porque quem ama aos outros cumpriu a lei» (Romanos 13:8)

Esqueçamos pois as nossas fraquezas e tornemo-nos fortes em Deus e com Deus e desta forma vamos levar outros ao encontro deste Porto de Abrigo tão especial!

«…e conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.» (Efésios 3:19)

«…e andai em amor, como também Cristo vos amou e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave» (Efésios 5:2)

Queridas irmãs, ensinemos todos que nos estão próximos a encontrar o caminho da bonança!

 

Que Deus ricamente vos abençoe!

Florbela R. A. Silva

 

O Milénio

 

O plano redentor de Deus para o homem findará com a Dispensação do Milénio, cujas palavras-chave são: Rei e Governo Divino. Nosso Senhor Jesus Cristo descerá pessoalmente à Terra e sentar-Se-á no trono de David. Jesus denomina esse tempo de Regeneração (Mateus 19:28), e Pedro de tempos de restauração (Actos 3:20,21).

O Milénio principiará com a manifestação (parousia) de Cristo na segunda fase da Sua segunda Vinda (Apocalipse 19:11-12) e findará com a libertação do diabo com a posterior batalha de Gogue e Magogue, com a instalação do Grande Trono Branco (Apocalipse 20:11-15).

Vejamos alguns propósitos do Milénio:

 

1)    Consumar todas as alianças feitas com o homem no decorrer dos séculos.

2)   Estabelecer a justiça e a paz na Terra.

3)   Exaltar a soberania universal de Cristo.

4)  Restaurar a posição de Israel como cabeça das nações.

5)   Exaltar os santos de todos os tempos.

6)  Subjugar todos os inimigos do Senhor.

Quando Jesus começou o Seu ministério terreno, na Palestina, fez o primeiro discurso revelando a plataforma para um governo especial, apresentando uma legislação profunda, registada nos capítulos cinco a sete do Evangelho Segundo S. Mateus.

Os judeus rejeitaram Cristo como Rei e desde então Ele voltou-Se para os gentios, pelo que o Sermão do Monte, na sua mais profunda acepção, ficou reservado para uma validade integral na instituição do Governo Divino.

Assim sendo, ele será a pedra angular das actividades do Rei, durante o Milénio, cujo governo será teocrático, isto é, governo pessoal de Deus (Isaías 52:7; Daniel 7:13-17; Lucas 1:23-33).

I)               VERDADES BÍBLICAS SOBRE O MILÉNIO

 

1)    Será um reino literal e universal.

(Salmo 2:6-8; Jeremias 3:17; Zacarias 9:10; Daniel 2:34-35; Apocalipse 11:15)

 

2)  Jerusalém será a capital do reino.

(Isaías 2:2-4; 24:23; Jeremias 3:17; Ezequiel 48)

 

3)   Os animais tornar-se-ão dóceis.

(Isaías 11:6-9; 65:25; Oséias 2:18)

 

4)  Será uma época de justiça e paz.

(Isaías 9:6-7; 11:4: Salmos 96:13; Zacarias 9:10; Apocalipse 2:27; 19:15)

 

5)   A Terra ficará mais fértil.

(Isaías 35:1; Amós 9:13-15)

 

6)  A vida humana prolongar-se-á.

(Isaías 65:20-22; Zacarias 8:4-5)

 

7)  Satanás será amarrado.

(Apocalipse 20:2-3)

 

II)          OS SUBDITOS DO REINO MILENAR.

 

Haverá duas classes de súbditos durante a Dispensação do Governo Divino:

 

a)  Homens glorificados

b)   Homens naturais

 

 

Os glorificados serão de 3 origens:

 

a)  Crentes do Velho Testamento

b)   Crentes do Novo testamento

c)    Salvos durante o período da Tribulação

 

Os homens naturais serão também de três origens:

 

1)    Judeus sobreviventes à Grande Tribulação.

(Zacarias 13:8-9; Apocalipse 12:14-17)

 

2)  Gentios que entrarão no milénio por decisão decretada no julgamento das nações.

(Mateus 25)

 

3)   Nascidos na época milénio.

 

 

Florbela Silva

Estudo sobre SansãoE

 

Sansão morreu de forma natural ou cometeu suicídio?

 

Eis aqui uma questão importante e inquietante.

Mas antes de responder quero comentar a vida deste homem de Deus, para melhor se entender o que realmente aconteceu.

Morte ou suicídio eis a questão.

 

À luz das Sagradas Escrituras, podemos analisar que Sansão nasceu com um propósito muito especial.

Devido aos deslizes e pecados constantes do povo de Israel, Deus os entregou na mão dos filisteus, por quarenta anos.

Deus na sua infinita misericórdia, enviou mais uma vez o socorro ao seu povo.

Desta feita enviou o Senhor um anjo à mulher de Manoá.

Esta era estéril, não tinha por isso filhos, mas o anjo do Senhor deu-lhe a boa nova e explicou-lhe como deveria agir.

Ela deveria pois guardar-se de não beber vinho, nem comer nada imundo, nem ainda passar navalha na cabeça do filho varão, que ia nascer. Ele seria um nazireu consagrado a Deus desde o ventre da mãe.

 

Faço aqui uma pausa para explicar o que significa ser nazireu.

 

Nazireu: traduzido para português = separado.

Na-zír: em hebraico =consagrado a Yaveh.

Né-zir: variação do hebraico = sinal sagrado de dedicação.

 

Este nome designa uma pessoa consagrada e dedicada totalmente ao Senhor.

Esta consagração poderia durar um período de tempo ou toda a vida. No caso de Sansão, o seu estado de nazireu era um chamamento, uma vocação desde antes do seu nascimento e para toda a vida.

Não foi por opção, mas sim pela Graça de Deus que Sansão foi separado para O servir.

O seu voto era de uma consagração total, para toda a vida, como lemos em Juízes 13:5: “…porque o menino será nazireu de Deus desde o ventre…”

 

Sansão veio ao mundo com um propósito muito especial.

Iniciar o livramento do povo de Israel das mãos dos filisteus, (Juízes 13:5).

 

Vejamos a importância das recomendações que o anjo deu à mãe de Sansão.

 

Guardar-se de não beber vinho:

 

A Palavra de Deus, diz referindo-se aos sacerdotes que estes não deveriam beber vinho quando entrassem para ministrar diante do Senhor. Fora isso poderiam beber, sempre com moderação.

No caso de Sansão verificamos que esta proibição começou ainda quando este se encontrava no ventre da mãe. Pois já aí ele estava separado para Deus.

Sansão trabalhava a tempo integral na obra do Senhor.

Qual guerreiro em campo de batalha, Sansão tinha por missão estar sempre pronto para defender o povo israelita.

Tinha que estar sempre lúcido, sempre vigilante e atento para cumprir as ordens do Senhor a quem estava consagrado.

 

Não comer nada imundo:

 

Isto simboliza a separação das coisas santas das mundanas, das puras para as imundas.

Sansão era considerado como um Templo vivo, por tanto não poderia contaminar-se com nada de imundo, impuro ou mundano, ainda dentro do ventre da sua mãe.

Isto revela-nos a separação tanto a nível físico como espiritual, que Deus pretendia de Sansão.

Em Romanos 8:6 diz: “Porque a inclinação da carne é morte…

Usando o mesmo exemplo do sacerdote, este não poderia tocar em nenhum corpo morto, contudo havia uma excepção no caso de o morto ser parente próximo.

Morto ou morte aqui simboliza carne, pecado, imundície e impureza.

Sansão como nazireu e Templo vivo diante do Senhor, não poderia nunca fazer tal, nem que este fosse familiar próximo.

Sansão deveria viver apartado de tudo o que fosse pecado e abster-se dos prazeres imorais deste mundo.

 

Até aqui vemos que Sansão tinha que estar sempre vigilante na sua missão de nazireu e não deixar-se nunca contaminar pelo mundo que o rodeava.

 

 

 

Cabelos compridos:

 

Aqui vemos uma marca externa da consagração interna de Sansão.

Esta cabeleira comprida simbolizava a coroa da glória que havia sobre Sansão.

Por ela todos sabiam que ele estava separado e consagrado para Deus.

De acordo com o Novo Testamento, os cabelos longos no homem são algo vergonhoso, (I Coríntios 11:14).

Ao deixar crescer os seus cabelos Sansão, declarava a sua disposição em suportar toda a zombaria e o opróbrio por amor a Deus.

 

Faço aqui um parêntesis para analisar este aspecto ao nível do crente actual.

Todos nós, os que verdadeiramente somos salvos, estamos separados do mundo.

Vivemos no mundo, mas não para o mundo, nem para os seus prazeres e falsos encantos. Este mundo não atrai o verdadeiro cristão, pelo contrário, o crente deseja a Vinda de Cristo com ansiedade pois o pecado que este mundo contém sufoca e entristece a alma dos filhos de Deus.

O gozo terreno não trás satisfação alguma, porque todo o prazer e satisfação está no encontro que o homem tem com o Salvador Jesus Cristo.

 

Sansão nazireu – homem separado para servir a Deus.

Crente fiel – separado do mundo, para ser a luz e o sal, na terra.

O Mundo caminha numa direcção, mas os filhos de Deus, seguem em direcção oposta tanto na escola, no trabalho na sociedade em geral.

O nosso exterior, nossa conduta, nossa maneira de falar, de agir, de pensar, nossos divertimentos, os locais que frequentamos, deve fazer a diferença na sociedade que nos rodeia.

Porquê?

Porque fomos escolhidos e separados para viver e servir a Deus, Nosso Senhor e Salvador!

Aleluia!!!

 

Avaliemos agora a conduta de Sansão.

Enquanto ele foi fiel ao voto de nazireu, Deus o abençoou grandemente.

A Bíblia relata-nos os actos heróicos que ele praticou.

Sabemos que a força física de Sansão não provinha dele mesmo, mas do Espírito do Senhor que tinha descido sobre ele.

 

Quando matou o leão com as próprias mãos.

Então o espírito do Senhor se apossou dele tão possantemente que o fendeu de alto a baixo, como quem fende um cabrito, sem ter nada na sua mão” (Juízes 14:6);

 

Outra situação foi quando fez uma aposta com os filisteus.

Ele deu-lhes um enigma para decifrar, mas foi traído pela futura esposa e ficando muito irritado matou 30 filisteus e tomou os seus vestidos e pagou a sua dívida, (Juízes 14:19).

Então o espírito do Senhor tão possantemente se apossou dele, que desceu aos ascalonitas, e matou deles 30 homens, e tomou os seus vestidos e deu as mudas de vestidos aos que declararam o enigma…”

 

Após esta situação o sogro de Sansão deu a filha que ele desejava para si, ao seu companheiro. Furioso Sansão pegou fogo às searas dos filisteus.

Quando estes descobriram mataram a mulher que ele tanto desejava assim como o pai dela. (Juízes 15:1-7).

Esta situação fez com que o povo de Judá deixasse de ver Sansão como o libertador do povo.

Ele tornou-se aos olhos do povo, mais uma causa para sofrer perseguição por parte dos filisteus.

Por este motivo 3000 homens de Judá amarraram Sansão e o entregaram aos filisteus, (Juízes 15:10-13).

Quando os filisteus viram Sansão amarrado e humilhado, pois estava sendo trazido pelo seu próprio povo, jubilaram.

Mas mais uma vez o Senhor foi com Sansão.

E, vindo ele a Leí, os filisteus lhe saíram ao encontro, jubilando: porém, o Espírito do Senhor possantemente se apossou dele, e as cordas que ele tinha nos braços se tornaram como fios de linho que estão queimados, e as suas amarraduras se desfizeram das suas mãos. E achou uma queixada fresca de um jumento, e estendeu a sua mão tomou-a, e feriu com ela mil homens.” (Juízes 15: 14-15)

Nestas duas últimas situações podemos constatar que Sansão estava a desviar-se gradualmente dos propósitos que Deus tinha para a sua vida.

A vingança de Sansão afastou-o dos caminhos de Deus.

Ele estava a vingar-se por motivos pessoais e não para libertar o povo israelita.

Foi esse o grande erro de Sansão.

Ele desviou-se de Deus e passou a seguir os seus desejos pessoais.

Sua queda começou quando olhou para uma mulher filisteia e a desejou para si como mulher (Juízes 14:1-2).

Ele veia para libertar o povo israelita e não para se misturar com os filisteus.

Deus tinha um caminho traçado para Sansão repleto de Graça, Poder e Unção, mas Sansão desviou o seu olhar do criador e olhou para o mundo que o cercava.

 

Na sua insatisfação pessoal Sansão, continua agindo de forma errada quando procura uma prostituta, (Juízes 16:1)

Ele desviou-se de Deus de tal forma que iniciou a busca de satisfação nos prazeres da carne.

Acredito que apesar dos muitos erros que Sansão já tinha cometido, a partir do momento que olhou para uma mulher filisteia, Deus teve misericórdia dele e na sua longanimidade continuou abençoando-o.

Mas verificamos que a partir do capítulo 16 de Juízes Sansão fica por conta própria.

Sansão escolheu o mundo e Deus respeitou com tristeza a sua escolha, abandonando-o na sua jornada.

O servo que Deus elegera para iniciar a libertação do povo, tinha caído nas amarras de satanás.

Sansão desviou-se do seu caminho, porque olhou para o lado.

 

Que Deus tenha misericórdia de nós, para que jamais façamos como ele fez. Que nossos olhos possam estar sempre virados na direcção do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

 

Sansão desceu até ao fim do poço.

Foi enganado, humilhado, desprezado, escravizado e até os seus olhos lhe foram arrancados.

 

Quanto sofrimento padeceu por se desviar de Deus, e dar azo a uma atracção da carne, satisfazendo assim os seus desejos imorais.

 

O senhor deste mundo é hábil em seduzir com beleza, encantos e artifícios, mas tudo isto é apenas e só, uma ratoeira para ver quem nela cai.

Infelizmente podemos constatar que muitos estão caindo na armadilha.

Desviam-se do primeiro amor, ficam mornos, deixam de ir aos cultos, de ler a Palavra de Deus, deixam de ter comunhão com Deus através da oração, e assim se inicia a queda do homem. 

Subtilmente o inimigo vai entrando e se enraizando ficando o crente indefeso perante o poder de satanás, cai na cilada e fica derrotado.

 

 

Foi o que aconteceu com Sansão.

Mas apesar de ele se ter afastado de Deus, e ter perdido a sua comunhão com o Senhor, Deus esperava por Sansão.

A sua misericórdia é grande sobre os que se arrependem.

A prova está quando Sansão clamou ao Senhor verdadeiramente arrependido, Deus não só o ouviu, como também renovou as suas forças.

Então Sansão clamou ao Senhor e disse: Senhor JEOVÁ, peço-te que te lembres de mim e esforça-me agora, só desta vez, ó Deus, para que de uma vez me vingue dos filisteus, pelos meus dois olhos.

Abraçou-se, pois, Sansão com as duas colunas do meio, em que se sustinha a casa, e arrimou-se sobre elas, com a sua mão direita numa e com a esquerda na outra.

E disse Sansão: Morra eu com os filisteus! E inclinou-se com força, e a casa caiu sobre os príncipes e sobre todo o povo que nela havia; e foram mais os mortos que matou na sua morte do que os que matara na sua vida.” (Juízes 16:28-30)

 

Foi esta demonstração de arrependimento e fé em Deus que nos dá a resposta à pergunta em cima elaborada.

Morte ou suicídio?

Morte claramente.

Se tal não fosse Deus jamais o incluiria entre os Heróis da Fé, como está escrito em Hebreus 11:32.

Apesar do terrível desvio que Sansão fez na sua trajectória de vida, ele no final da mesma, termina cumprindo o propósito para o qual veio a este mundo.

Iniciar a libertação do povo israelita da opressão dos filisteus, matando na hora da sua morte mais filisteus do que em toda a sua vida.

Sansão era um guerreiro de Deus e morreu na Batalha, ao serviço do seu Senhor!

Deus seja Louvado!

Amem!

 

30 de Junho de 2006

Florbela Ribeiro Silva